30.4.18

Impressão 3D

A descobrir uma nova (mas lenta) atividade.
Fascinante ver o objecto crescer, lentamente, à nossa frente tão fascinante que por vezes sinto que estou a ficar hipnotizada com todo o processo e acabo por ficar apenas a admirar a precisão da máquina e dou comigo a pensar, ao ponto a que chegámos. 
Quando eu tinha a idade da minha filha não tinha computador em casa, tão pouco a "tradicional" impressora, que hoje habita em muitas das nossas casas de forma tão comum que já nem damos por elas.
Hoje, mesmo com a consciência de que poucos tem uma impressora 3D, a minha filha pede-me para imprimir um unicórnio (só porque sim) e voilá, lentamente a imagem (tridimensional) que temos de um começa a formar-se à nossa frente.
Magia? não apenas evolução (rápida).




5.11.17

Pintura, lareira e partilha

Aproveitar o fim de semana para fazer coisas que nos deixam felizes, acender a primeira vez a lareira (este ano), pintar e partilhar momentos bons.





1.11.17

Como isto me faz feliz

Esta minha nova atividade deixa-me mesmo feliz, adoro começar com uma folha branca sem a mínima ideia de como vai terminar, acho que é mesmo isso que me fascina, deixar as canetas e a água fazerem a maior parte do "trabalho".







1.9.17

Setembro chegou

Ahhh e de repente percebi que não venho aqui há demasiado tempo e sinto que “abandonei” quem me costumava visitar.
Agora que entramos em Setembro, vou tentar ser mais regrada e manter este meu cantinho atualizado.
Demasiadas redes sociais fazem com que acabemos que nos dispersar um pouco, mas não quero perder este espaço, nem tão pouco fazer com que ele caia no esquecimento.

* ando mesmo entretida a explorar este mundo da aguarela.

28.4.17

Azulejos Portugueses III

Quanto mais desenvolvo esta técnica, mas entusiasmada fico.
Eu que nunca tive sequer vontade de explorar o universo das aguarelas, pois achava que tinha falta de potencial, estava verdadeiramente enganada.






27.4.17

Azulejos Portugueses II

Vou repor aqui algumas das pinturas que tenho feito!
Efetivamente não há terapia melhor do que criar com as nossas mãos!