29.4.14

Bolo de Limão com Sementes de Papoila

E cá está o bolo que saiu do forno este fim de semana, desta vez resolvi experimentar um bolo de limão com sementes de papoila.
Só vos posso dizer uma coisa, ficou delicioso!


4 ovos
2 chávenas de chá de açúcar
220gr de margarina
1 chávena de chá de leite morno
2 chávenas de chá de farinha
2 colheres de sopa de raspa de limão
2 colheres de sopa de sementes de papoila
1 colher de sopa de fermento
1 chávena de sumo de limão
2 chávenas e açúcar em pó


Bater as gemas com o açúcar e a margarina.
Juntar sem bater o leite morno, a farinha, a raspa de limão, as sementes de papoila e o fermento.
Bater tudo durante 2 minutos.
À parte bater as claras em castelo e envolver na mistura.
Colocar numa forma untada e levar ao forno a 180º durante 45 minutos aproximadamente.
À parte misturar o sumo de limão com o açúcar em pó e misturar bem.
Antes de desenformar regar o bolo com a calda obtida anteriormente.


Agora já estou a pensar em qual vai ser o próximo... sugestões?


27.4.14

Clutche Azul Turquesa

Acabei de fazer mais uma experiência com as minhas Clutches, desta vez resolvi fazer um "upgrade" e usar também alguns botões antigos.

Tenho milhares de botões que fui guardando, comprando e que me foram oferecendo.

O que acham deste modelo?





Clutches em tecido com dimensões aproximadas 25x30cm.
Como a loja on-line continua sem funcionar... mais informações, contactem por e-mail

24.4.14

Mais um Clutche para o Verão!

E outra Clutche feita ainda durante o fim de semana passado.

Clutches em tecido com dimensões aproximadas 25x30cm.
Como a loja on-line continua sem funcionar... mais informações, contactem por e-mail




21.4.14

Bolsa :: Clutche

Aqui está mais uma das produções do fim de semana.
Clutches em tecido com dimensões aproximadas 25x30cm.
A flor é uma pregadeira que pode ser retirada a qualquer momento ;)

Peço desculpas mas a loja on-line não está a funcionar corretamente, por isso para Mais informações, contactem por e-mail




20.4.14

Bolo de Gengibre com Avelã

Tal como prometido a semana passada, ontem experimentei fazer mais um bolinho, já comprei fermento, portanto o perigo do bolo não crescer passava apenas a ser da minha responsabilidade, mas isso não aconteceu e o bolo ficou lindo, cheiroso e delicioso ;)

Procurei uma receita de bolo de gengibre, mas claro fiz algumas alterações ;)


3 ovos
3 colheres sopa de mel
3 colheres de sopa azeite
2 colheres de sopa de açúcar
4 colheres sopa farinha
1 colhe sopa de fermento em po
1 colheres de sopa gengibre
2 colheres e sopa de avelã moída
Sumo de 1/2 limão



Bater as claras em castelo.
Bater as gemas, o mel, o açúcar, a farinha e a avelã moída, no final juntar o sumo de 1/2 limão.
Acrescentar o fermento e o gengibre ralado.
Adicionar as claras em castelo e mexer muito bem.
Untar e enfarinhar a forma e adicionar a massa.
Levar ao forno cerca de 30min.

Após desenformar pulvinar com açúcar em pó.




19.4.14

Bolsas :: Clutches

Já tinha experimentado e não tinha corrido bem.
Ontem à noite respirei fundo e resolvi fazer nova tentativa, correu bem, e acabei por fazer duas!

Que vos parece?

Clutches em tecido com dimensões aproximadas 25x30cm.
Mais informações, por e-mail








17.4.14

Bolo de nozes pecan e erva doce

No passado fim de semana resolvi voltar a fazer um bolinho, bem na verdade foi mesmo um bolinho que saiu, o fermento que tinha em casa não fez qualquer efeito e simplesmente o bolo não cresceu, ou então não teve nada a ver com fermento e simplesmente eu não entendo nada de bolos (o que não deixa de ser verdade).

Comecei por procurar uma receita simples mas com algo que pudesse usar por ter em casa disponível.



3 ovos
50gr de açúcar amarelo 
1 colher (sopa) com canela
3 colheres (sopa) azeite
2 colheres (sopa) leite
1 colher (chá) erva doce moída
80gr de nozes pecan
100 gr de farinha com fermento
1 colher (chá) fermento em pó

Depois de separar os ingredientes todos a Máti entrou em acção e foi a vez dela ajudar no resto da tarefa.

Batem-se os ovos com o açúcar, junta-se a canela, o azeite, o leite, a erva doce e as nozes em pedaços.
Bate-se a misura e junta-se a farinha e o fermento.

Unta-se uma forma com margarina e enfarinha-se, depois é só colocar a massa e leva ao forno (previamente aquecido) cerca de 20 minutos.

Depois de retirar do forno adicionamos um pouco de chocolate e nozes pecam.



Culpa do fermento ou não, a verdade é que o bolo não cresceu, ou cresceu tão pouco que quase nem deu para perceber, mas estava bom, e desapareceu num instante ;)

Fica a promessa, este fim de semana há mais ;)

Photos by ♥ Dora Ramalho

15.4.14

Bulgur

Mais uma descoberta no mundo alimentar, este alimento faz parte da cozinha árabe e tanto quanto sei ainda não é muito utilizado por cá. Até porque não se encontra nas prateleiras de qualquer supermercado com grande facilidade.


Depois de algumas pesquisas deixo-vos aqui alguma da informação que encontrei.

BURGHUL (bulgur - burgol)
O bulgur é uma excelente fonte de fibra e magnésio, oferece pouca gordura, colesterol e sódio. 100 gramas equivalem a 83 calorias.

É o grão do trigo integral parcialmente cozido no vapor, seco, normalmente ao sol, e, por fim, partidos em pequenos pedaços. As dimensões do grão, depois de partido, são variáveis, assim como a sua coloração. Quanto ao granulado, existe o bulgur de maior dimensão que é normalmente utilizado na preparação de pilafs, e o bulgur de granulado muito fino, utilizado especialmente em köftes, quibe e na salada de bulgur (kısır). Quanto à coloração, varia entre o esbranquiçado, amarelo e o castanho. Na Turquia estão disponíveis todas estas variantes.
Conhecido como burghul em países do Médio Oriente e do Norte de África e como bulgur na Turquia, é feito de diferentes tipos de espécies de trigo, mas mais frequentemente de trigo duro ou durum (triticum durum). No Brasil, chamamos de trigo pra kibe.

E tu costumas utilizar bulgur na tua cozinha?
Que pratos já confeccionaste?

13.4.14

Ervilhas de Cheiro e um belo almoço de fim de semana

Um passeio durante a manhã de sábado foi o motivo para colher umas ervilhas de cheiro que estavam no caminho. Esta é sem dúvida, pelo menos para mim, mais uma vantagem de morar no campo.

Uma das coisas boas da Primavera, é que as flores estão por todo o lado e eu não resisto em trazer comigo para casa algumas delas.

Digam-lá que a nossa mesa não ficou muito acolhedora?
O almoço estava delicioso, grelhados, uma deliciosa salada e milho, muito milho!





9.4.14

Frágeis e Vibrantes

Começamos finalmente a ser brindados com o tão desejado Sol, as pessoas estão sequiosas de calor e é raro durante o meu dia não falar com alguém que não mencione a falta dele.
Pois este fim de semana já deu para sair à rua (neste caso para o campo) e deparar-me com alguns cenários magníficos,  as papoilas povoavam por completo uma das zonas por onde passamos, e não resisti em fazer uma pausa para tirar umas quantas fotografias 


São apenas simples flores do campo e eu, talvez por ter crescido a apanha-las sempre gostei delas, frágeis e ao mesmo tempo vibrantes.


Recordo-me de ser criança e andar no campo a apanhar botões de papoila para os abrir com a curiosidade de ver a cor que teriam (branco, vermelho ou rosa) e se bem me lembro acho que até existia uma "espécie de jogo" associado a esta brincadeira (qualquer coisa como se fosse vermelho era galo, branco galinha?) estarei a fazer confusão com qualquer outra brincadeira infantil? ou seria apenas a minha forma despreocupada de passar algum tempo!?


Vim com um raminho para casa, mas não resistiram ao calor :(

8.4.14

Feijão Azuki

Continuamos a experimentar novos ingredientes, pelo menos para mim são novos!
Não conhecia feijão azuki, na verdade até à bem pouco tempo feijão e grão eram dois ingredientes que eu não consumia de todo.
Sempre me "irritaram" as "peles meio rijas" que eu sentia quando ingeria qualquer prato que tivesse feijão ou grão.
Mas nós vamos mudando, pelo menos é o que se diz, e agora que aprendi a gostar, em vez de gostar adoro.

O chef Gno já fez uma receita onde utilizou este feijão, mas na verdade acho que não cheguei a fotografar, fica a promessa para breve.



E vocês, já utilizaram, ou costumam consumir este tipo de feijão?
Como o cozinham?
Algum "truque" especial?



Algumas informações
O feijão azuki, originário do Japão, é uma leguminosa selvagem, pequena e vermelha. A sua introdução na Europa deu-se após o século XX, depois de ter sido levado pelos emigrantes japoneses para o Brasil. É um alimento de grande riqueza nutricional, pois é rico em proteínas, fósforo, cálcio, ferro, potássio, zinco, fibras solúveis e vitaminas do complexo B.

Para além de propriedades diuréticas, este feijão fermenta menos do que os outros. Auxilia na formação óssea, fortifica e regenera rins cansados, sendo indicado para disfunções renais, hipertensão e diabetes. Os japoneses utilizam-no na preparação de doces com sabor suave. Na alimentação vegetariana é o ingrediente principal de feijoadas ou chili, por ser leve e saudável. Também é usado na preparação de sopas e saladas. O consumo de arroz com feijão azuki fornece ao organismo uma combinação nutricional completa.

Antes de qualquer preparação, este feijão deve ser deixado de molho durante 10 a 12 horas. Deve cozinhar-se, preferencialmente na panela de pressão, durante 30 minutos, sem sal. O sal deve ser adicionado depois da cozedura e de se deixar a água evaporar, com a tampa destapada e a chama moderada.

Com este alimento também se pode preparar uma infusão particularmente indicada para fortalecer os rins, a bexiga e os órgãos reprodutores; ajudando ainda a lidar com casos de obstipação e a eliminar o excesso de produtos animais. Para preparar esta bebida deve colocar-se uma chávena de azuki num tacho, juntamente com uma tira de alga kombu (opcional) e adicionar quatro chávenas de água. Depois de levantar fervura, deve baixar-se a chama para o mínimo e deixar o líquido borbulhar durante cerca de meia hora. No final, coa-se e bebe-se quente. Se, após ter coado os feijões, se adicionar meia chávena de rábano, nabo ou rabanete ralados, obtém-se uma variante desta infusão indicada para dissolver cálculos renais.

Actualmente, o feijão azuki é um produto relativamente fácil de encontrar em lojas de produtos naturais e até em alguns hipermercados.

4.4.14

Trigo Sarraceno

Temos comprado alguns produtos que eu pessoalmente não conhecia e como é óbvio aproveito para tirar umas fotografias e pesquisar um pouco mais de informação acerca de cada um.
O trigo sarraceno já está nas nos prateleiras à espera de uma oportunidade de ser cozinhado e experimentado.
Enquanto isso não acontece, aqui ficam as fotos e algumas informações que pesquisei acerca do mesmo.


Embora muita gente pense que o trigo-sarraceno é um cereal, ele é na verdade a semente de um fruto aparentado com o ruibarbo e as azedas.
As flores do trigo-sarraceno são muito perfumadas e atraentes para as abelhas que as usam para produzir um mel escuro especial, de aroma forte. Enquanto o trigo-sarraceno é semelhante em tamanho ao grão de trigo, apresenta uma forma triangular única. Para ser comestível, a casca exterior tem de ser removida, um processo que exige equipamento próprio de moagem, devido à sua forma pouco habitual.



Energizante e nutritivo, o trigo-sarraceno é vendido simples ou torrado, este último designado por vezes «kasha», do qual se faz um prato tradicional europeu. O trigo-sarraceno cru tem um sabor suave e subtil, enquanto o trigo-sarraceno cortado tem um sabor mais forte a noz. A sua cor varia do rosa escuro ao castanho. O trigo-sarraceno é muitas vezes servido como alternativa à papa de aveia. O trigo-sarraceno também apresenta altas quantidades de farelo, disponível quer nas variedades leve ou integral, com a variedade integral mais nutritiva. Uma vez que o trigo-sarraceno não contém glúten, é muitas vezes misturado com qualquer tipo de farinha com glúten (como o trigo) para bolos.

Benefícios para a Saúde: 
- Afecções Circulatórias
- Hipertensão Arterial
- Arteriosclerose
- Fragilidade Capilar
- Aumento das Necessidades Nutritivas

Informações retiradas daqui

3.4.14

Washi Tapes :: Ideia para aplicação em latas e lápis

Depois das ideias que já vos deixei para aplicarem as washi tapes nas molas da roupa e nas velas, hoje deixo-vos outra ideia que também inclui a reciclagem das latas que vem com milho ou rebentos de soja.
Para além da reciclagem das latas, também podem aplicar as washi em simples lápis de carvão.



Divirtam-se :)

1.4.14

Cogumelos Cantharellus cibarius

Já todos sabem da minha paixão por cogumelos, não posso ver uma variedade nova à venda sem a levar para casa.
Até à pouco estes deliciosos cogumelos também eram uns desconhecidos.
Fiquei fã!


Algumas curiosidades retiradas daqui:

Gastronomia:
Muito conhecido e apreciado. Aproveita-se na totalidade e a sua carne nunca se estraga. Pode secar-se ou salgar-se, utiliza-se em guisados, grelhados…É rico em aminoácidos e vitamina A.

Descrição:
Chapéu:
 4 a 10cm, estendido e que acaba em forma de funil. A margem é ondulada e delgada. A superfície é lisa, de cor amarelo-vivo e apresenta uma depressão no centro.
Lâminas: falsas lâminas dobradas, decorrentes e bifurcadas ao longo do pé, amarelo-vivo.
Pé: 3 a 8cm  atenuado para a base, curvado a meio, branco quando é jovem e depois amarelo. É carnudo e tenro.
Cheiro: Liberta um muito agradável odor frutado.



Observações:
A coloração é muito variável. Debaixo dos carvalhos surge a variedadealborufescens, completamente branca mas que oxida  ou se torna manchada de laranja ao ser tocada. Existem outros 2 muito parecidos: Hygrophoropsis aurantiaca, o falso cantarel, perfeitamente comestível e o Omphalotus olearius, muito tóxico!

Nome Comum:
Cantarel, Cantarelas, canários, sanchas