25.2.16

Perdida no tempo (e uma história por contar)

Por vezes perco-me no tempo e viajo... crio histórias só minhas que jamais serão contadas.
...ou quem sabe um dia venham a ser.

Já várias pessoas me disseram que era bom contar a minha história, a história do meu último ano, que essa história poderia ajudar outras pessoas que passem pela mesma situação ou semelhante.
Sinceramente ando a ganhar coragem, a ponderar até que ponto consigo descrever todas as emoções, sentimentos de alguém que aos 41 anos se deparou com o diagnóstico de cancro da mama.

Quem sabe um dia...



Puxador e porta algures por Praga
Photos by ♥ Dora Ramalho

Sem comentários :