28.3.16

O mundo ao avesso (10 - cicatrizes)

Quando fui tirar os pensos pós mastectomia não tive aquele choque que imaginava ter, afinal não estava completamente lisa e com uma enorme cicatriz. A cicatriz existia sim, mas como optei pela colocação de expansor, o mesmo criava um ligeiro volume, uma vez que quando o colocam, colocam também algum soro.

A parte visual não me causou qualquer confusão.
Confesso que não é a coisa mais agradável do mundo, ver o nosso corpo, aquele no qual nunca pensamos mexer até mesmo por questões estéticas, modificado de forma irreversível.

E fazendo aqui um pequeno à parte aproveito para falar um pouco de uma das coisas em que pensei (em determinadas alturas até com uma certa revolta) durante este último ano.
Não sou de todo contra a cirurgia estética, e quando falo em cirurgia estética refiro-me àquela puramente estética, quando as senhoras se olham ao espelho e gostavam de ver uma cinturinha igual à que tinham com menos 20 anos, ou umas maminhas que mais voltem a parecer-se com uns marmelos, ou até mesmo para apagar umas 20 rugas que teimaram em aparecer devido aos anos vividos.
Não sou contra, e continuo a dizer, se é para as pessoas se sentirem melhor, ótimo, força.
No entanto eu nunca na vida iria submeter-me fosse ao que fosse para mudar algo no meu corpo apenas por uma questão tão e somente estética. Simples não?

E isto confesso que me causou uma certa revolta.
Porquê eu? Porquê a mim? Eu não quero mexer no meu corpo, eu não me quero "escortanhar" para me aproximar de certos níveis pré-estipulados de beleza. Não seria mais justo estas coisas acontecerem a quem se quer reorganizar fisicamente?

É claro que não, tudo isto é um perfeito disparate, até porque nada disto é justo, para ninguém, para nenhuma mulher (neste caso concreto), mas a verdade é que foi um dos pensamentos que durante algum tempo viveram comigo.

Bem, talvez por nunca ter sido uma pessoa demasiado preocupada com a minha aparência exterior o impacto visual de quando me olhei ao espelho pela primeira vez sem pensos não foi tremendamente assustador. É triste? Sim. É confuso? Também. É estranho? Sem dúvida.

Pior do que todas as cicatrizes visíveis são as cicatrizes que nunca ninguém irá ver, não porque as queiramos ou consigamos esconder, apenas porque são invisíveis aos olhos.


Puxador algures por Praga
Photos by ♥ Dora Ramalho

Sem comentários :