16.3.16

O mundo ao avesso (5 - o pior dia da minha vida)

Chegou o dia de ir levantar o relatório com os resultados, estava tranquila, nem o mínimo de nervosismo, afinal não havia motivos.

A médica ainda não tinha o relatório e pediu me para lhe ligar à tarde.
Combinamos ir ter com ela no dia seguinte.
O relatório estava pronto, eu tinha cancro.
Creio que a determinada altura deixei de ouvir o que ela me estava a dizer... Não estava a conseguir decifrar as palavras que lhe saiam da boca.
Eu tinha cancro da mama, afinal não era uma lesão atípica benigna, mas carcinoma.
Tinha que fazer mastectomia, retirar tudo, e logo se via o que ainda podia vir a seguir...
Eu não tinha capacidade para raciocinar, só me apetecia chorar, não era possível.

Então onde estava a minha estrelinha agora? 
O problema não estava resolvido, estava apenas a começar, e eu não conseguia acreditar.

Chorei, chorei muito quando saí do consultório.
E depois de muito chorar ficou só um vazio imenso, como era possível isto estar a acontecer comigo?

A verdade é que estava a acontecer, e eu precisava reagir.
Da parte da tarde fui a uma consulta de oncologia, onde me foi explicado que a melhor solução para o meu caso era a mastectomia, não havia dúvida. 
Havia que fazer também análise ao gânglio sentinela, a fim de averiguar se o mal já se estava a espalhar pelo corpo, exame esse que seria feito no acto da mastectomia.

Dúvidas, muitas dúvidas, uma enorme confusão na minha cabeça e uma tristeza imensa.

O meu mundo estava literalmente do avesso.


Puxador algures por Praga
Photos by ♥ Dora Ramalho

Sem comentários :