3.4.16

O mundo ao avesso (12 - boas notícias)

Tal como contei aqui, após mastectomia ficaram imensas perguntas a pairar na minha cabeça, tinha de esperar 15 dias para saber a resposta a algumas delas, e mesmo tentando não pensar muito, inevitavelmente pensei. Mesmo que de forma inconsciente pensei, e muito.

O sentinela está afetado?
O bicho mau está espalhado pelo meu corpo?
E se estiver, que tratamentos ainda são possíveis fazer?
Como vai ser a minha vida?


15 dias depois o resultado estava à minha espera:
O sentinela não estava afetado.
O bicho mau não estava espalhado pelo meu corpo.
Ainda assim teria de fazer o chamado tratamento hormonal.
A minha vida independentemente de tudo nunca mais seria a mesma.

E uma vez mais considerei-me uma pessoa de sorte, a estrelinha voltava a estar atenta e a olhar para mim. Fiquei tão feliz quando soube que chorei. Foi o momento de descarregar uma carga imensa que transportava comigo. Senti-me tão aliviada, aliviada ao ponto de quase esquecer.

Mas há coisas que não se esquecem jamais.
Acredito que o tempo ajuda a esconder no mais profundo do nosso ser momentos e sentimentos que não queremos recordar, porque na verdade não são dignos de serem recordados, mas na verdade só os escondemos.

Talvez este seja mais um dos motivos pelos quais resolvi escrever a minha história, é quase como se fosse uma forma de "arrumar a casa", esconder, sem querer esconder.

Acredito que quem passa por situações destas, ou semelhantes, não volta a ser a mesma pessoa que era anteriormente, não vive da mesma forma, não valoriza as mesmas coisas, não sente da mesma maneira, e há coisas que passam a ser melhores, mas o ser humano tem uma capacidade enorme de se deixar levar pela "loucura" que envolve a sua vida, o trabalho, os horários, o stress.

O que eu quero dizer com isto, é muito simples, quero "esconder" no mais profundo do meu ser alguns dos sentimentos pelos quais passei, mas não quero que a "loucura" da vida apague o que de bom esta experiência me trouxe, por isso escrever é a melhor solução, pois acredito que eu irei ler tudo isto mais tarde, várias vezes até. Umas para me recordar que a vida é demasiado curta, outras para me fazer sorrir e pensar que travei uma das mais duras batalhas da minha vida.

Assim quando um dia tiver um momento menos bom, quando a tal "loucura" da vida já se tenha apoderado de mim, posso sorrir e dizer, este momento de mau não tem nada.



Praga
Photos by ♥ Pedro Neves

Sem comentários :